domingo, 21 de dezembro de 2014

Senhora


                                               Por Ticiane Ribeiro




Olá, pessoas! No post de hoje, eu irei falar sobre um livro sobre o qual já ouvimos muito, um clássico da literatura nacional, muito cobrado em vestibulares e afins, principalmente para nós, estudantes de Letras, mas que apesar de nossa condição, pude perceber depois da roda de leitura promovida por Professora Iraci, que nem todos haviam lido. Minha intenção aqui então, é fornecer algumas informações de livros canônicos ( é, aqueles mesmos que éramos obrigados a ler no Ensino Médio, e que acabamos não lendo por n razões, inclusive por causa dessa palavrinha insuportável: OBRIGATÓRIO!!!).

Farei indicações desses livros e sempre que possível, recomendarei também o filme, pois acho interessante fazermos a comparação do escrito para a transposição cinematográfica. Deixarei minhas impressões sobre o filme e gostaria que vocês fizessem o mesmo, inclusive indicassem outros livros canônicos não citados por mim. Acho que assim, conseguiremos desenvolver nosso curso de forma mais agradável ( quem sabe não possamos adotar a ideia de um clube de leitura?). Os professores de literatura com certeza iriam agradecer rsrsrsrs.

Vamos ao post.


Uma mulher apaixonada. Um homem influenciado pelas circunstâncias. Um coração partido. Um sentimento mais forte que o tempo e um golpe do destino que irá provocar uma reviravolta na vida de dois jovens. Situações como estas, relacionadas ao amor e sofrimento são características  marcantes do Romantismo, movimento literário do século XIX, ao qual pertenceu José de Alencar, escritor brasileiro, autor de diversas obras famosas, dentre as quais encontra-se o romance Senhora, cuja sinopse foi mencionada acima. Publicado em 1875, Senhora retrata os costumes da sociedade burguesa do Rio de Janeiro e ainda hoje é considerado um dos maiores clássicos da Literatura Brasileira.

"Há anos raiou no céu fluminense uma nova estrela". Com essa frase dá-se início à narração da história de vida de Aurélia Camargo, uma mulher que não se enquadrava nos rígidos padrões de sua época. Dividida entre o amor e a vingança, ela ultrapassará todos os limites para punir o homem que destruiu seus sonhos e ilusões românticas.

A primeira parte do livro, intitulada 'O Preço', retrata a apresentação de Aurélia, então aos 18 anos, na alta sociedade fluminense. Dona de uma beleza ímpar, de personalidade altiva e forte e com uma sagacidade surpreendente para sua idade, ela era considerada a rainha dos salões e atraía a atenção de todos nos saraus dos quais participava. Rica e muito cortejada num ambiente em que as mulheres desejavam desesperadamente arranjar um marido, a moça age contra todas as expectativas ao refutar seus pretendentes, tratando-os como meras mercadorias.

Por trás de atitudes tão hostis, porém, encontra-se uma jovem profundamente magoada e triste, que após sofrer uma terrível desilusão amorosa, passa a desacreditar nas pessoas e a utilizar sua fortuna para desdenhar de uma sociedade ao seu ver hipócrita e detestável. E é com essa fortuna que Aurélia irá se vingar do único homem a quem amou e por quem foi traída: Fernando Seixas.

Valendo do recurso do flashback, o narrador volta no tempo para contar o começo da trajetória da protagonista. 'Quitação' é a parte em que ele nos fala como era a vida de Aurélia dois anos antes, quando ela ainda era pobre e vivia com a mãe muito doente, que vem a falecer. É também nessa etapa que vamos descobrir como a moça conheceu e se apaixonou por Fernando e como se decepcionou com ele, que apesar de amá-la, devido aos problemas financeiros enfrentados por ambos, resolve abandoná-la. A jovem então acaba ficando sozinha no mundo, até que recebe uma herança de seu avô desconhecido.

Após sua ascensão social, a protagonista fará de tudo para se casar com o grande amor de sua vida e lhe aplicar o castigo que lhe julga merecido. A terceira parte, ' A Posse' mostrará a vida do jovem casal após contraírem matrimônio.

O ponto alto da narrativa é alcançado em 'O Resgate', quarta e última parte do livro. Nela, haverá o acerto de contas entre o casal, encaminhando-os para um desfecho emocionante.

Senhora é um livro que fascina não apenas por sua história, mas também pela escrita impecável, marca inquestionável de Alencar. É recomendado para todos que desejam conhecer um pouco mais do Brasil, seus antigos costumes e ambientes, e para quem aprecia acompanhar uma bela história na qual os ressentimentos e mágoas só podem ser substituídos pelo amor graças ao poder do perdão. Belíssimo!!!


Espero que tenham gostado e se animem para a leitura. Deixo aqui também o link do filme Senhora, de 1976, dirigido por Geraldo Vietri. A imagem pode não ser lá essas coisas, mas pelo que pude perceber, o filme traz uma nova versão para a história. Assistam e me digam qual vocês preferem: o livro ou filme?

Ah, existem também as novelas Essas Mulheres, exibida pela Rede Record e baseada em três obras de Alencar: Senhora, Lucíola e Diva, e a novela Senhora, de 1975, exibida pela Rede Globo.

Boa Leitura!!!!

Vocês podem assistir ao filme disponível no youtube:






5 comentários:

  1. Fiquei curiosa para ver o filme. Vou assistir! Bom trabalho, Ticiane!!!

    ResponderExcluir
  2. Já havia lido o livro, mas não sabia que existia o filme. Hum...também fiquei bastante curiosa para assisti-lo.

    ResponderExcluir
  3. Eu também não sabia que existe o filme ou tentar assisti.....um dia, não sei quando!

    Obrigada pela dica!


    Um abraço!

    SILVIA CRUZ.

    ResponderExcluir
  4. Ainda não assisti o filme também, não sabia que tinha, vou procurar. Já tinha lido o livro também, é muito bom.

    ResponderExcluir